Monographs Details: Metzgeria albinea var. angusta (Steph.) D.P.Costa & Gradst.
Authority: Costa, Denise P. da. 2008. Metzgeriaceae (Hepaticae). Fl. Neotrop. Monogr. 102: 1-169. (Published by NYBG Press)
Family:Metzgeriaceae
Description:Variety Description - Talo ligeiramente atenuado para o apice, dicotomias regulares ou não; células planas, 24-56 × 20-42 µm; rizóides presentes na superficie ventral da lamina, na margem dispostos de forma uniforme (500 µm = 20-25 rizóides), ocasionalmente apresentando regiões sem rizóides ou com 1 rizóide por célula. Ramo masculino com ou sem rizóides. Esporos medianos, 30-35 µm diam.

Discussion:O epíteto angusta refere-se ao talo estreitado em direção ao ápice.

Segundo Schiffner & Amell (1964), M. angusta é uma espécie comum no sul do Brasil, crescendo sobre troncos de árvores e raramente solo, sendo conhecida também para Louisiana (USA), Antilhas, México, Chile e Patagônia. Schuster (1992), examinando os síntipos, comenta que o espécime de Louisiana pertence a M. myriopoda ou M. furcata var. ulvula Nees, embora esta última geralmente apresenta lâmina formada por 6-7 células larg. e costa com 2 fileiras de células epidérmicas ventrais, mesmo em plantas bem desenvolvidas. Metzgeria furcata pode também apresentar rizóides na superfície ventral da lâmina, ao menos tanto quanto sugerido na diagnose de M. angusta (setullis sparsim hirtae). Para o autor alguns registros de M. angusta para a América do Norte estão baseados em fases jovens de M. myriopoda, na qual a costa pode apresentar 2 fileiras de células epidérmicas ventrais e a lamina ser formada por 5-8 células larg., sendo que em todas as fases de M. myriopoda a lamina possa ser esparsamente hirsuta na superfície ventral, embora esta característica possa ser rara ou pouco freqüente nas fases com talo muito estreito. Acrescenta ainda, que M. angusta deve ser criteriosamente examinada para saber se represents ou não uma fase de desenvolvimento de M. myriopoda.

Costa & Gradstein (2000), examinaram os síntipos citados por Stephani (1899), a grande maioria pertencia a espécies distintas: M. chilensis, M. ciliata, M. leptoneura, M. myriopoda, M. sandei, M. violacea.

O talo masculino que Stephani descreve na obra original para M. angusta, provavelmente pertence a M. sandei (G 10281!—Guatemala) e representa um erro de identificação, já que de todos os exemplares examinados do herbário de Stephani (G), somente este material apresenta talo masculino, embora não pertença a especie descrita pelo autor.

Em relação aos síntipos de Glaziou citados por Stephani, provavelmente as duplicatas destes materials são os três exemplares examinados pertencentes ao herbário de Paris (PC).

Quatro dos materials examinados do herbário de Viena (Schiffner 2420, W 865; Schiffner 584, W 866; Schiffner 703, W 875; Schiffner 1049, W 881), embora não apresentem rizóides na superfície ventral da lâmina, foram considerados como M. albinea var. angusta por apresentarem talo visivelmente atenuado e as demais características da espécie, sendo que destes, três exemplares são populações de gametófitos masculinos, que nesta espécie apresentam ou não rizóides na superfície ventral do talo.

Distribution and Ecology: América Tropical e Subtropical, ocorrendo no México, Cuba, Trinidad, Guadeloupe, Brasil, Chile e Patagônia (Costa, 1999; Stephani, 1899), aqui citada para o Panamá. Ocorre sobre troncos e folhas de árvores vivas, geralmente misturada com outras briófitas, 0-2100 m, predomi-nando em localidades com altitude variando entre 400-1000m. No Brasil, Segundo Costa (1999), está restrita à Mata Atlântica das regiões sudeste e sul, crescendo sobre troncos e folhas de árvores vivas, geralmente com outras briófitas, 0-1000 m, predominando entre 400-1000 m. Embora esta espécie também seja referida por Stephani (1899), para a América do Norte (Louisiana), Guatemala, Venezuela e São Domingo. Costa & Gradstein (2000) examinando os síntipos da espécie para estas localidades, verificaram que esta distribuição é equivocada e baseada em identificação errônea e que, na realidade, este materiais pertencem a outras espécies (veja discussão).

Distribution:Brazil South America| Hidalgo Mexico North America| Veracruz Mexico North America| Coclé Panamá Central America| Villa Clara Cuba South America| Guadeloupe South America| Paraná Brazil South America| Rio de Janeiro Brazil South America| São Paulo Brazil South America|